sábado, novembro 22, 2008

Catalina Pestana - Grande, Grande, Grande Mulher!!!

"Nenhum juiz disse que Pedroso era inocente"

3 comentários:

Das divergências e convergências disse...

Pois sim.
Mas não devia dizer isso.
O Estado é que tem o ónus de fazer a acusação e juntar prova. Só assim pode, com culpa formada, uma pessoa ser condenada. Seja o Pedroso ou o Zé da esquina.
Se o Estado não junta prova, acusa mal não há lugar a declarações de inocência. Porque o sujeito, aos olhos dos poder punitivo, sempre o foi.
É o chamado direito.

Camilo disse...

Qual direito?
Haverá alguma dúvida da manipulação política neste caso?
Não, não sou parvo!!!
Um abraço.

Das divergências e convergências disse...

Sim... tem razão...
Mas, imagine-se, o Estado não prova algo, não tem que vir nenhuma procuradora a dizer que um certo individuo é inocente.
Só isso.
Claro que o Direito Penal é "forte para os fracos e fraco para os fortes". Ou certas investigações de crimes económicos são mais dificeis, ou há manipulação do poder politico ou legislativo e/ou existe falta de vontade de munir o sistema de certos mecanismos que permitam punir certos crimes.Falo aqui dos crimes de colarinho branco.
Também para os "fracos", muitas das vezes o direito não é assim tão "forte" como devia ser.
Partilho da ideia de que Portugal é um País podre, infestados de corruptos.

Cumprimentos.