terça-feira, outubro 28, 2008

"Nunca vi uma vergonha tão grande como o Processo Casa Pia"

In José Maria Martins
(Advogado do Bibi).

A FAVORITA

A história-enredo-guião, da telenovela (brasileira) que a SIC transmite diariamente, é uma autêntica aberração!...
Um verdadeiro atentado à inteligência dos espectadores menos atentos.
Trata-se de uma verdadeira porcaria de uma novela, parida pelos "adiantados-mentais" da Globo, para os "atrasados-mentais" dos portugueses... e não só...
...Pois incluem-se nestes últimos, todos os chicos-espertos da SIC que deram o aval, para a escolha do dito aborto, que dá pelo nome de: A FAVORITA.

domingo, outubro 26, 2008

domingo, outubro 19, 2008

Rui Santos - defensor (!) de Carlos Queiroz

Porque será que Rui Santos defende -de forma directa, indirecta (e camuflada) o insucesso de Carlos Queiroz?
Que paixão... que "dívida" andará por... detrás disso?!!!

quinta-feira, outubro 16, 2008

Carlos Queiroz - "O Teórico-da-Teoria-Teórica"

Como sou (apesar da idade, continuo a ser) ingénuo, sou um bocado lento a perceber certos esquemas!
Mas hoje fui esclarecido pela SIC Notícias.
O Scolari era criticado por ter um vencimento milionário para não fazer nada (nem ia ao Estádio das Antas e do Dragão ver os jogos ao vivo) - um verdadeiro mercenário!
Já o Professor contenta-se com um vencimento SÓ 50% MAIS ALTO do que o de Scolari.
E, se fosse hoje despedido, pela indecente e má figura que está a fazer, receberia todos os salários que faltam para cumprir os QUATRO ANOS de contrato.
Este é Carlos Queirós que eu conheço: o sportinguista que esmifrou mais de 200.000 contos (UM MILHÃO DE €UROS!) ao Sporting, por ter sido despedido por incompetência!
Nem imagino quanto é que ganhou com a saída do Real Madrid, mas acredito - E ACREDITO MESMO! - que, com esta vinda para a selecção, pretende, EXCLUSIVAMENTE, acautelar o seu "pé-de-meia".
Nem os competentíssimos administradores dos bancos em pré-falência, por esse mundo fora, conseguem indemnizações tão chorudas.
Nem vou perguntar! É uma afirmação:
"O BURRO AQUI SOU EU!".
Por acreditar que a melhor maneira de ganhar dinheiro - E DORMIR EM PAZ - é trabalhando com competência.
SANTA INGENUIDADE!
Um abraço!
(GPS)

Do PortugalClub...

Estamos divulgando em 03 grupos, a entrevista exclusiva ao livro "Gerra, Paz e fuzilamentos dos Guereiros" de autoria do Coronel Manuel Amaro Bernardo;
De um verdadeiro e valente português, negro, natural da Provincia ultramarina da Guiné Bissau.
Muitos destes heróis foram covardemente entregues "para serem fuzilados, desarmados ao inimigo de Portugal, pelos traidores de 25/a.
Quando muitos traidores dizem que a Guiné era uma guerra perdida, vejam (no livro) como estes heróis em grupos pequenos, iam resgatar portugueses prisioneiros nos países vizinhos.
No terceiro bloco chamo a extrema atenção para o tipo de oficial Comandante que foi Capitão Salgueiro Maia, que logo na chegada a guiné em seu 1º encontro com o inimigo, se "borrou, cagou de medo" fugiu , gritando para seus comandados " salve-se quem puder".
Houve militares que apenas apareceram dois dias depois e outros que seriam apanhados e ficariam detidos nas prisões do PAIGC".
Depois devolvido a portugal, todo borrado, foi aclamado como herói nacional quando em cima de um carro de combate, quase foi responsavel por uma verdadeira tragédia nas ruas de Lisboa.

Carlos Queiroz: «Vamos estar no Mundial»... (Na bancada!!!)

FRUSTRADO MAS CONFIANTE...
"Não fiquem dúvidas: vamos jogar em qualquer lado, contra quem seja, de forma a ir buscar as vitórias para garantir os pontos necessários para assegurar a qualificação para o Mundial. Eu sei que é difícil falar agora, porque todos, dos adeptos à imprensa, estão desiludidos, mas vamos recuperar e vamos estar no Mundial", garantiu Queiroz, convicto
...
Isto poderia ser dito, por exemplo, pelo sr. Rui Santos... padroeiro do
"Teórico-da-Teoria-Teórica"...

quarta-feira, outubro 15, 2008

Carlos Queiroz - O Teórico-da-Teoria-Teórica


Continuando a não juntar qualquer título ao seu palmarés como treinador (?!!!) de futebol sénior...

(excepção de uma Taça de Portugal ganha ao serviço do Sporting... contra o Marítimo)...

o professor Carlos Queiroz, acaba de juntar mais um feito histórico ao seu famigerado palmarés:

Depois dos 6-3 em Alvalade, contra o Benfica... e a perda do campeonato...

O empate 0-0 contra 10 Albaneses, cansados e toscos... mas generosos.

Agora, fico na expectativa... para ouvir os comentários do sr. Rui Santos sobre (mais) este fracasso.

Gilberto Madaíl abandonou a Tribuna do stádio para -segundo disse- ir à casa de banho.

Pergunto?! FOI CAGAR?!!!

sexta-feira, outubro 10, 2008

Em Democracia não há lugar a perseguição político-criminal por delito de opinião

Em Democracia não há lugar a perseguição político-criminal por delito de opinião.
Há sinais inquietantes de que determinadas forças políticas fazem "caça às bruxas", usam a ameça penal para perseguir os que não dizem amem aos detentores do Poder.
Para silenciar a voz dos que não concordam, dos que são livres e dizem que "O Rei vai Nú".
O direito de liberdade de expressão e de opinião está sob fogo inimigo.
São direitos que, por incrível que pareça, em Portugal estão na mira daqueles que ,dizendo-se democratas e batendo no peito - ou ergendo a voz para reivindicar os pregaminhos da luta contra o autoritarismo , o fascismo, o comunismo - são estruturalmente ditadores, prepotentes, não democratas, que, à mínima oportunidade, fazem o mesmo que Staline fez na URSS, que Hitler fez na Alemanha e que tantos ditadores fizeram, criando polícias políticas, campos de tortura.
Prendendo como arma política e como forma de manterem o Poder.
É cada vez mais importante saber resistir.
Em nome da Liberdade, da Democracia, dos Direitos Humanos, valores que não são propriedade de nenhuma pessoa, de nenhum partido.
Os cidadãos devem ter a coragem para resistir a esses aprendizes de ditadores, a esses individuos que não olham a meios para deter e manter o Poder.
Sejam eles quem forem, tenham eles os cargos que tiverem, tenham o Poder que tiverem.
Resistir democraticamente, sem medo, com enorme coragem.
Impor o medo é o que pretendem os biltres.
Enfrentar os abusadores e violadores dos direitos liberdades e garantias é DEVER de cada português livre.
Tudo é luta pelo Poder. Poder político, económico, social.
Tudo gira à volta do Poder.
Muitos não recuam seja perante o que for para manter o Poder, que querem ilimitado, para continuarem a usufruir das prebendas que vão criando uns aos outros e para benefícios deles, afundando o Estado e prejudicando toda a comunidade.
Se não houver resistência eles conseguem os seus objectivos.
Se tivermos medo eles obtêm o que querem. Amedrontar para reinar.
Não devemos permitir.
Lutar pela cidadania, pela liberdade, pela dignidade, pelo bem estar do nosso Povo, pelo futuro dos nossos filhos é um imperativo categórico, a que nenhum de nós deve voltar as costas.
Seria muito bom para o nosso futuro que 15 ou 20 advogados estivessem disponíveis para lutar pelos direitos cívicos, mesmo gratuitamente, para defender as pessoas, sem receio seja de quem for.
Só os advogados podem enfrentar o Poder, usando a Lei Nacional e a Internacional para defender a democracia, as pessoas que não têm meios económicos para se defenderem.
Criar uma associação de advogados defensores dos direitos cívicos seria um passo muito importante para Portugal e para os portugueses.
Sem medo, porque vivemos num tempo histórico em que a opressão, a tirania, a Injustiça não podem triunfar.
E seria muito bom que os magistrados assumissem, na prática, os ensinamentos de Deus a Moisés sobre a imparcialidade e a isenção da arte de administrar Justiça, ensinamentos que se podem ver no Livro Deuteronómio.
O maior bem é sentir que é feita Justiça, que quem tem razão e não tem recursos económicos tem as mesmas armas que os que usam milhões de euros .
(In
José Maria Martins)

A crise americana... É assim:

O seu Biu tem um bar, na Vila Carrapato, e decide que vai vender cachaça "na caderneta" aos seus leais fregueses, todos bêbados, quase todos desempregados.
Porque decide vender a crédito, ele pode aumentar um pouquinho o preço da dose da branquinha (a diferença é o sobre preço que os pinguços pagam pelo crédito).
O gerente do banco do seu Biu, um ousado administrador formado em curso de emibiêi, decide que as cadernetas das dívidas do bar constituem, afinal, um activo recebível, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o pindura dos pinguços como garantia.
Uns seis zécutivos de bancos, mais adiante, lastreiam os tais recebíveis do banco, e os transformam em CDB, CDO, CCD, UTI, OVNI, SOS ou qualquer outro acrônimo financeiro que ninguém sabe exatamente o que quer dizer.
Esses adicionais instrumentos financeiros, alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de derivativos, na BM&F, cujo lastro inicial todo mundo desconhece (as tais cadernetas do seu Biu).
Esses derivativos estão sendo negociados como se fossem títulos sérios, com fortes garantias reais, nos mercados de 73 países.
Até que alguém descobre que os bêbados da Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas, e o Bar do seu Biu vai à falência.
E toda a cadeia sifudeu !
Viu... é muito simples...!!!

quinta-feira, outubro 09, 2008

Camaradas de armas unamo-nos!

O adágio popular diz que «a união faz a força».
É certo que toda a união representa mais do que o somatório da força de cada elo da cadeia; poderíamos dizer, de forma tosca, que a união de uma qualquer cadeia é igual à soma da força dos elos da mesma mais a força do conjunto.
Uma tal verdade genérica pode ter várias aplicações.
Ocorreu-me, hoje, uma sobre a qual vou discorrer em discurso breve, mas conciso.

Mais do que noutros tempos já passados têm sido os militares, nas suas diferentes categorias e Ramos, atacados por este Governo maioritário e dito socialista nos direitos que julgavam adquiridos.
Tudo começou pela assistência sanitária e pelas comparticipações específicas que lhes eram dadas quer aquando da aquisição de medicamentos quer nos chamados actos médicos.
De uma forma perfeitamente arbitrária o Governo retirou direitos que eram formas indirectas de pagar sacrifícios de uma vida ao serviço da Pátria.
Pessoalmente essa arbitrariedade governamental passou a pesar-me na carteira mais de mil e duzentos euros no final do ano em despesas de farmácia!

Quando o militar está na efectividade de serviço pode, de acordo com os regulamentos que pautam a sua actividade, fazer chegar ao comando competente a manifestação da sua discordância em relação ao que afecta a sua vida. Pode dizer por escrito:
«Exmo. Senhor, o que me é pago por mês não chega para satisfazer as despesas normais de sustento da minha família. Solicito que dê conhecimento do facto a quem de direito e que sobre o assunto seja tomada a resolução que se achar conveniente».
Pode dizer isto e o comandante ou chefe, se não for completamente inapto, deverá fazer chegar este desabafo ao escalão mais alto que lhe for possível.
Talvez o militar reclamante nada ganhe com a reclamação, mas teve a oportunidade de, com lealdade, informar sobre a sua desmotivação.
Ora, o que é verdade para um militar na efectividade de serviço já o não é para um que esteja na situação de reforma. Esse não tem para quem reclamar!
Resta-lhe, então o quê? Juntar-se com os velhos camaradas em iguais circunstâncias e, em conjunto, carpirem as suas mágoas.
Mas só isto? Na minha opinião, não.
Os militares reformados detêm um direito inestimável: o de livremente poderem reclamar em público contra o que acharem por bem.
Confere-lhes esse direito a Constituição Política da República.
Uma República democrática que ajudaram a construir há 34 anos.
As amarras castrenses já estão soltas.
É verdade que o direito de reunião e de manifestação pode ser usado por todos os militares, reformados ou na efectividade de serviço, mas também é certo que sobre os primeiros já não tem a autoridade militar qualquer tipo de alçada.
Isso dá àqueles um mais largo espectro de liberdade!

Se nós, militares reformados, soubermos tirar proveito da possibilidade de protesto público formamos uma cadeia que tem a força de cada um e mais a força do conjunto.
Aproxima-se a altura de podermos mostrar quanto valemos.
Deixemo-nos de velhos pruridos e saltemos a juntarmo-nos engrossando a cadeia que nos dá força.
Deixemos de lado a velha frase que fez escola aqui há alguns anos e que resumia a ideia de que o «chefe do sindicato» era o Chefe do Estado-Maior do respectivo Ramo.
Está mais do que provado que eles não são «chefes de sindicato» nenhum e, até, se calhar, já mal representam os direitos e interesses daqueles que comandam.
Camaradas de armas unamo-nos!
Coronel Luís Alves de Fraga

segunda-feira, outubro 06, 2008

UNIVERSIDADE MODERNA

Fechou porque...
também passava diplomas ao... DOMINGO?!!!

sexta-feira, outubro 03, 2008

Então... o CAPITALISMO é assim!!!

CAPITALISMO IDEAL
Você tem duas vacas.
Vende uma e compra um boi.
Eles multiplicam-se, e a economia cresce.
Você vende a manada e aposenta-se.
Fica rico!
..........
CAPITALISMO AMERICANO
Você tem duas vacas.
Vende uma e força a outra a produzir o leite de quatro vacas.
Fica surpreso quando ela morre.
..........
CAPITALISMO JAPONÊS
Você tem duas vacas.
Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam 20 vezes mais leite.
Depois cria desenhinhos de vacas chamados Vaquimon e vende-os para o mundo inteiro.
..........
CAPITALISMO BRITÂNICO
Você tem duas vacas.
As duas são loucas.
..........
CAPITALISMO HOLANDÊS
Você tem duas vacas.
Elas vivem juntas, em união de facto, não gostam de bois e tudo bem.
..........
CAPITALISMO ALEMÃO
Você tem duas vacas.
Elas produzem leite regularmente, segundo padrões de quantidade e horário previamente estabelecido, de forma precisa e lucrativa.
Mas o que você queria mesmo era criar porcos.
..........
CAPITALISMO RUSSO
Você tem duas vacas.
Conta-as e vê que tem cinco.
Conta de novo e vê que tem 42.
Conta de novo e vê que tem 12 vacas.
Você pára de contar e abre outra garrafa de vodka.
..........
CAPITALISMO SUÍÇO
Você tem 500 vacas, mas nenhuma é sua.
Você cobra para guardar as vacas dos outros.
..........
CAPITALISMO ESPANHOL
Você tem muito orgulho de ter duas vacas.
..........
CAPITALISMO BRASILEIRO
Você tem duas vacas.
E reclama porque o rebanho não cresce...
..........
CAPITALISMO HINDU
Você tem duas vacas.
Ai de quem tocar nelas.
..........
CAPITALISMO PORTUGUÊS
Você tem duas vacas.
Foram compradas através do Fundo Social Europeu.
O governo cria O IVVA - Imposto de Valor Vacuum Acrescentado.
Você vende uma vaca para pagar o imposto.
Um fiscal vem e multa-o porque, embora você tenha pago correctamente o IVVA, o valor era pelo número de vacas presumidas e não pelo número de vacas reais.
O Ministério das Finanças, por meio de dados também presumidos do seu consumo de leite, queijo, sapatos de couro, botões, presume que você tenha 200 vacas.
Para se livrar do sarilho, você dá a vaca que resta ao inspector das Finanças para que ele feche os olhos e dê um jeitinho.
(Manuel Castro Centeno, por email)