quinta-feira, julho 03, 2008

Morra o Tratado de Lisboa!

O presidente polaco recusou-se a assinar o Tratado de Lisboa.
Que descanse em Paz (o Tratado).
Viva o Presidente (da Polónia)!
Viva a Polónia!
Viva Chopin!
Morra o feudalismo!
MORRAM OS DANTAS!!!
(in "Crítica de Música")

11 comentários:

NSR disse...

Por ser a única via possível de anuncio do meu humilde blogue, remeto para esta caixa o endereço do mesmo na esperança de uma visita sua. Bem haja.

O mesmo ainda se encontra em fase experimental, no entanto passará ainda este verão a ser um programa de rádio em português de e para nacionalistas.

http://voznacionalsocialista.blogspot.com/

César Cardoso Silva disse...

Mas qual «feudalismo», meu estúpido da merda? F-E-D-E-R-A-L-I-S-M-O. Até um inumano como tu consegue pelo menos transcrever esta merda.
A UE não é feudal. É capitalista, como convém à burguesia europeia. Mas que podias tu saber sobre este assunto, burgesso com a 3ª Classe (tirada à noite)?

ÁLVARO TEIXEIRA disse...

Trancende-o, claro, quando falo em feudalismo (não em federalismo).

Para além da 3ª classe sou licenciado em filosofia. De dia. Topa? Claro que não, não topa. Elementar...

ÁLVARO TEIXEIRA disse...

Kamilo:

Não é que eu exerça qualquer censura contra a liberdade de opinião de cada um, mas é meio chato que se aproveitem de um post com um excerto de um texto meu para fazerem publicidade a causas que eu de todo não partilho.

Camilo disse...

Caro Álvaro Teixeira,
O seu texto está bem concebido.
Aliás, como todos os do seu Blogue.
E, como tal, não vejo nenhum mal em transcrever uma parte que achei sublime.
Esta é a minha ideia...
Quanto à crítica feita por "césar cardoso silva", respondo:
1-Que me faça a "destrinça" de FEUDALISMO e...FEDERALISMO, mas à luz do presente... "medieval"...!
Em resumo: vivemos num "medievalismo-feudal-federalista" e quem não tiver a ideia do "chico-esperto" (césar cardoso silva), é:
reaccionário,
estúpido,
burgesso.
No meu caso,fiz todos os meus estudos à noite.
Mas, atenção:
OS MEUS "DIPLOMAS" NÃO FORAM ASSINADOS EM NENHUM DOMINGO!!!

César Cardoso Silva disse...

Trancende-o, claro, quando falo em feudalismo

Não transcende nada. Vossa mercê é que usa um termo que não conhece de todo para dar uma de entendido, e estatela-se. Ainda quis crer que fosse uma bestialidade do Camilo, entre tantas outras: mas assim ainda é pior.
A Europa não é feudal porque (e com isto respondo também à pergunta do Camilo) no Modo de Produção Feudal era praticado fateusim ou a enfiteuse, ou seja, a outorga a título definitivo ou por três vidas respectivamente, de uma leira de terra, da qual o servo, bem como os seus descendentes, deveriam pagar uma renda pre-estabelecida em determinados géneros. Isto constituía, evidente, um obstáculo inultrapassável na adaptação da produtividade da terra ao mercado: com as revoluções burguesas, contudo, o salariato foi introduzido nas relações de produção agrária, e com isso a adaptação ao mercado tornou-se possível. O capitalismo, pedra de toque da UE, tornou-se possível.
Se a Europa voltasse ao feudalismo, omo se vê, a rendibilidade da economia ia cair a pique. Pelo que, como é evidente, nenhum tratado europeu, sendo como é um documento escrito aprovado por serventuários dos burgueses europeus, ia ter esse objectivo. Só na mente imbecilizada do Álvaro e do Camilo. Menos filosofice e um poucochinho mais de leitura sobre História Económica (tenho Mestrado na área, obtido no ISEG, bem omo uma licenciatura em Contabilidade pelo ISCAC) é o meu conselho...

Camilo disse...

Enfim...
Com tanta licenciatura; com tanta "mestrice"... contabilizada pelo ISCAC (antes fosse pelo ÍSCAS à portuguesa)..., parece impossível o estado em este país se encontra.
Sim, porque não são os analfabetos os culpados.
Pois...

Anónimo disse...

"Só na mente imbecilizada do Álvaro e do Camilo. Menos filosofice e um poucochinho mais de leitura sobre História Económica (tenho Mestrado na área, obtido no ISEG, bem omo uma licenciatura em Contabilidade pelo ISCAC) é o meu conselho..."

Sabe? Se eu fosse católico diria "Meu Deus!". Como não sou remeto-me ao silêncio. Álvaro T.

César Cardoso Silva disse...

remeto-me ao silêncio

É o mínimo que se pede aos ignorantes.

Camilo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilo disse...

Caro Álvaro,
mas eu, como sou católico, digo:
"perdoai-lhes... porque não sabem A QUANTAS ANDAM!!!"