sábado, junho 09, 2007

A força PEDÓFILA no Brasil...

A Execução do jornalista Barbon continua sem solução
---------------------------------------------------------
Passado mais de um mês da execução de Luiz Carlos Barbon Filho, o hediondo crime continua sem solução.
O jornal "Folha de S.Paulo" publica na sua edição de hoje (08/06) que "policiais militares estão entre os suspeitos do assassinato".
O governo de São Paulo retirou a investigação da polícia local, para evitar pressões.
Os jornalistas exigem Federalização Já!
A execução de Luiz Carlos Barbon Filho, morto a tiros em 5 de maio em Porto Ferreira (228 km ao norte de São Paulo), reacende o debate sobre a necessidade da federalização dos crimes contra os profissionais de imprensa.
Apesar de não possuir registo definitivo de jornalista, Barbon prestou um grande serviço à sociedade e deu uma aula de cidadania ao denunciar um esquema de exploração sexual de menores, com repercussão nacional, que levou à condenação políticos e empresários - coisa rara no Brasil.
A sua execução é sem dúvida nenhuma um gravíssimo atentado contra a liberdade de expressão, de imprensa e à democracia.
Tudo indica, que em 2007, o Brasil entrará para o rol dos dez países mais perigosos para o exercício do Jornalismo.
Contra a barbárie e a impunidade, os jornalistas brasileiros apelam ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e ao ministro da Justiça, Tarso Genro, para determinarem, de imediato, o ingresso da Polícia Federal no caso.
E que o Congresso Nacional discuta, com a máxima urgência, uma legislação que garanta a federalização dos crimes de execução, assassinato, agressão e ameaça contra jornalistas.
Pergunto?!
Haverá vontade política para resolver os casos que envolvem a... PEDOFILIA???

2 comentários: