sexta-feira, janeiro 11, 2008

Manuel Maria Barbosa du BOCAGE...

Parafraseando o VERDADEIRO Poeta:
"-O peido que aquela senhora deu, não foi ela, FUI EU!!!"
Querem uma "tradução" actual?!
Ela aí vai:
Jamééééééééééé!!!

1 comentário:

José Martins disse...

Mas glórias ao peido!
No tempo que os pobres era pobres e honestos, o peido desempenhou um papel importantíssimo na vida deles.
Claro nessa altura não havia os aquecedores eléctricos, a gas e vapor.
Então era o peido o aquecedor indispensável dos pobres!
Havia lá para os lados de Valongo uma família pobrezinha (mas que fazia filhos) de nascença e lá se iam governando com um caldinho temperado com pedaço de banha de porco.
Um dia uma senhora, remediada, teve tanta peninha de um miúdo dessa pobresinha família e diz-lhe condoidamente:
"ai meu filhinho vocês lá em casa devem passar muito frio nestas noites geladas"!

O miúdo um reguila respondeu-lhe:

NÁ SENHORA A GENTE ATÉ DORME QUENTINHOS. O MEU PAI PU, A MINHA MÃE PU, OS MEUS IRMÃOS PU E TODOS JUNTINHOS FICAMOS QUENTES COM O BAFINHO DO CU!
ASIM GLÓRIAS HÁ UTILIDADE DO PEIDO!