segunda-feira, agosto 06, 2007

Madrid, 20 de Dezembro de 1973


Recordando...
Don Luís Carrero Blanco
- então presidente do Governo Espanhol.
-------------------------------------------
A explosão projectou o pesado veículo
a uma altura de 6 pisos,
(mais de 20 metros acima do solo),
passando por cima do edifício
até cair no pátio interior.
Nenhum dos 3 ocupantes sobreviveu.
------------
A partir desta data,
as Instituições espanholas
passaram a ter mais respeito pelo
povo trabalhador e o comércio em geral...
...e a Espanha a desenvolver-se... ... ... ...

11 comentários:

Anónimo disse...

Não deixa de ser uma ideia, não senhor

Anónimo disse...

...uma sugestão?

simplex disse...

ER que tal bater este "record" de altura?

JV disse...

Apoio a ideia, mas desta vez tem de ir a falange toda de uma vez, não é só um sub-chefe...

Casemiro dos Plásticos disse...

Ora muito obrigado pela visita espero que voltes mais vezes que eu cá farei o mesmo!
Quanto ao blog, isto tá aqui uma coisa bonita :)
bom fds e um abraço

antonio disse...

Em democracia a arma do povo é o voto. Quando o povo não a sabe usar, não é com explosivos que se lá vai...

Camilo disse...

Ai, António, António...
Não penses assim!
Com falinhas mansas e paninhos quentes não vamos a lado nenhum!
Olha que este portugal está perigoso.
O estado sufoca-nos, porque não tem medo do povo;
Porque sabe que ninguém mexe uma palha contra ele.
Quem é o culpado por tantas falências?
Pelo desemprego?
Pelo fecho de pequenas lojas de comércio simples?
Isto só vai à bomba, Amigo António.
A Espanha... É O EXEMPLO!!!

Anónimo disse...

Em democracia a arma do povo é o voto

Mas quando o Povo vota e os governantes aproveitam o poder para o esmifrar, e parafraseando Isabel do Carmo, o voto do Povo é a arma.

Camilo disse...

Amigo "anónimo"...
Isso de o voto ser a "arma do povo" é uma grande tanga.
Faz lembrar aquele ditado dos ricos para adormecer os pobres:
"O dinheiro não dá a felicidade!"
Grande mentira. Pura e simples!!!
Se o Amigo "anónimo" se lembrar... o "voto" utilizado pela Sra. Isabel do Carmo, salvo erro, foi uma... metralhadora!
Mas posso estar enganado.
Se calhar, foi uma... G3!...
Ou seja: não utilizou aquele género de "democracia" que o Amigo "anónimo" pensa resultar.
O que tem resultado para o povo português o "voto-democrático" nestes últuimos 33 anos?!!!
Cumprimentos.
E... ÀS ARMAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

O amigo Camilo não me deve ter percebido: o PRP/BR, quando o Soares andou a distribuir cartazes que diziam «o voto é a arma do Povo», começou, pouco tempo depois, a afixar outros onde estava escrito «o voto do Povo é a arma». Ou seja, diziam o contrário: Soares dizia que se as pessoas se queriam fazer ouvir, deviam votar: o voto delas tinha o mesmo efeito que o de uma arma; já o PRP/BR, na sua propaganda, dizia que se o Povo queria ser ouvido devia pegar numa arma. Quando diziam «a arma é o voto do Povo» queriam dizer que se o Povo queria votar, então que pegasse numa G3 e caísse em cima dos políticos, e estava o «voto» dado.

Abraço.

Camilo disse...

Amigo "anónimo",
Confesso que não tinha percebido.
Agora percebo-o perfeitamente.
E tem razão!
Mas não se esqueça que, quando os políticos apelam ao "voto como arma do povo", é para o porem em... "sentido".
(Para ele não desalinhar)...
Mas... o "nobre poBo" não aprende.
Aliás, nunca, nunca, aprende.
Para mal daqueles que anseiam por ver "isto" dar uma valente sapatada!!!
Cumprimentos.