sábado, novembro 24, 2007

José Rodrigues dos Santos

JUDITE NÃO ACEITA PEDIDO DO PIVÔ
José Rodrigues dos Santos estará com dificuldade em arranjar testemunhas dentro da RTP, alegadamente, por se sentirem intimidadas com a intenção da administração despedir o pivô.
Judite de Sousa, (segundo notícia do CM), terá recusado o pedido do jornalista, de quem era directora-adjunta em 2004, para testemunhar a seu favor.
“-Não posso falar sobre isso”, explicou ao CM a jornalista.

Apesar de não querer falar sobre o assunto, Judite de Sousa terá mesmo sido contactada por José Rodrigues dos Santos, tendo, no entanto, declinado o pedido do antigo director de Informação...
O que faz um "prato de lentilhas"!...

3 comentários:

Anónimo disse...

Vale a pena perder 1m a lêr esta carta.

--------------------------------------------------------------------------------

Ex.mo Senhor Ministro das Finanças

Victor Lopes da Gama Cerqueira, cidadão eleitor e contribuinte deste País,
com o número de B.I . 8388517, do Arquivo de identificação de Lisboa,
contribuinte n.º152115870 vem por este meio junto de V.Ex.a para lhe fazer
uma proposta:

A minha Esposa, Maria Amélia Pereira Gonçalves Sampaio Cerqueira, foi vítima
de CANCRO DE MAMA em 2004, foi operada em 6 Janeiro com a extracção radical
da mesma.

Por esta "coisinha" sem qualquer importância foi-lhe atribuída uma
incapacidade de 80%, imagine, que deu origem a que a minha Esposa tenha
usufruído de alguns benefícios fiscais.

Assim, e tendo em conta as suas orientações, nomeadamente para a CGA, que
confirmam que para si o CANCRO é uma questão de só menos importância.

Considerando ainda, o facto de V. Ex.ª, coerentemente, querer que para o ano
seja retirado os benefícios fiscais, a qualquer um que ganhe um pouco mais
do que o salário mínimo, venho propor a V. Ex.ª o seguinte:
a) a devolução do CANCRO de MAMA da minha Mulher a V. Ex.ª que, com os meus
cumprimentos o dará à sua Esposa ou Filha.
b) Concomitantemente com esta oferta gostaria que aceitasse para a sua
Esposa ou Filha ainda:
c) os seis (6) tratamentos de quimioterapia.
d) os vinte e oito (28) tratamentos de radioterapia.
e) a angustia e a ansiedade que nós sofremos antes, durante e depois.
f) os exames semestrais (que desperdício Senhor Ministro, terá que orientar
o seu colega da saúde para acabar com este escândalo).
g) ansiedade com que são acompanhados estes exames.
h) A angústia em que vivemos permanentemente.

Em troca de V. Ex.ª ficar para si e para os seus com a doença da minha
Esposa e os nossos sofrimentos eu DEVOLVEREI todos os benefícios fiscais de
que a minha Esposa terá beneficiado, pedindo um empréstimo para o fazer.

Penso sinceramente que é uma proposta justa e com a qual, estou certo, a sua
Esposa ou filha também estarão de acordo.

Grato pela atenção que possa dar a esta proposta, informo V.Ex.a que darei
conhecimento da mesma a Sua Ex.ª o Presidente da República, agradecendo
fervorosamente o apoio que tem dispensado ao seu Governo e a medidas como
esta e também o aumento de impostos aos reformados e outras...

Reservo-me ainda o direito (será que tenho direitos?) de divulgar esta carta
como muito bem entender.

Como V. Ex.ª não acreditará em Deus (por se considerar como tal...) e por
isso dorme em paz, abraçando e beijando os seus, só lhe posso desejar que
Deus lhe perdoe, porque eu não posso (jamais) perdoar-lhe.

Atentamente> 19/Outubro/2007> Victor Lopes da Gama Cerqueira
__________________
Não roubem o estado, eles não gostam de concorrência

the_hammer disse...

Também já fiz referência a este caso no meu blogue. Mas ao contrário do que dizes, Camilo, isto não me parece que seja a Juditezinha a vender-se por um prato de lentilhas - ela está, falando portuguesmente, é com um valente cagaço. Os jornalistas que temos nas televisões e jornais de hoje em dia são uma raça de cobardes...

P.S. - Aproveito para expressar completa solidariedade com o autor da carta anterior.

filomeno2006 disse...

¿Olvídame que yo ya te olvidé ?