sábado, março 10, 2007

A Ordem dos Advogados

Dizia-me há dias o meu amigo Henrique, um Bragançano dos quatro costados, que a Ordem dos Advogados era um bastião da Máfia (com M grande)...
Que lá, (na tal Ordem) "se respira um ambiente demagogo e altamente mafioso, porque não dizem nada, não informam nada, não dão qualquer encaminhamento ou conselho a uma qualquer consulta".
E o amigo Henrique, disparava (contra a dita Ordem)... que qualquer pessoa que lá se dirigisse para um qualquer esclarecimento, "não conseguia dali levar nada" e "tudo aquilo lhe cheirava demasiado ortodoxo e comprometido".
Com a minha estupidez natural... disse-lhe que no tempo do Miguel (o Júdice)... aquilo devia andar melhor, quero dizer: devia ser melhor!...
Ele retorquiu que "as moscas é que mudaram!..."
Respondi-lhe que a anedota era velha...
Ao ler, agorinha mesmo, o post do Dr. José Maria Martins, fiquei pensativo...
O meu amigo Henrique é mesmo capaz de ter carradas e carradas de (muitas) razões...
Principalmente quando diz que a Ordem dos Advogados é um bastião da Máfia!!!
E olhem que eu sou de compreensão lenta!...

1 comentário:

Henrique disse...

Cariisimo

Constata-se que o meu amigo continua na senda da VERDADE e espero que nunca desfaleça, porque dos fracos não reza a história. Estou convencido que com a idade que tenho já não assistirei ao ciclo que virá a seguir, porém uma coisa é certa: o POVO embora na sua ignorância e de bons costumes irá ter a última palavra e correr com a "seita" que o tem enganada de há 33 anos para cá.´
Entretanto muitas personagens dessa "SEITA" de corruptos, pedófilos, gays e quejandos vai mudando de cor.
Lembro-me que no dia 25 de Abril muitos que juraram fidelidade à Constituição vigente como acto de repúdio ao comunismo e de todas as ideias subversivas estavam a dar vivas aos traidores, formando-se assim uma classe dominante com a bandeira do Socialismo.
Daí nasceu um capitalismo selvagem e agora temos que tirar o chapéu a esse GRANDE PORTUGUÊS que inquestionávelmente foi SOCIALISTA em toda a acepção da palavra e que num dos seus últimos discursos disse:

NOS HAVEMOS DE CHORAR OS MORTOS SE OS VIVOS OS NÃO MERECEREM ...

Um abraço